DIA 3 – FESTIVAL BRASILEIRO DE DHARMA 2018

//DIA 3 – FESTIVAL BRASILEIRO DE DHARMA 2018

A manhã começou com a prática do O Ioga da Mãe Iluminada Arya Tara. Gen Geden conduziu uma bela meditação e nos falou que um dos benefícios de buscar refúgio é não renascer nos reinos inferiores. Podemos a qualquer momento renascer nos reinos inferiores, depois de renascer nestes reinos é muito difícil sair deles.

Devemos fazer dia a dia conexões com a prática preliminar de refúgio, de manhã, de tarde e de noite. No Festival temos uma oportunidade de em poucos dias termos muitas sessões e fazermos grande progresso espiritual. Gen Geden nos disse: “Cortamos contato com a vida comum e temos um progresso espiritual incomum.”

No início dos ensinamentos matinais, Gen-la Jampa também fez comentários sobre a prática de refúgio, deu explicações inspiradoras de que estamos buscando refúgio para alcançar a iluminação nós mesmos, e isso é o refúgio resultante.

E como resultado teremos a habilidade de beneficiar todos os seres de acordo com o carma deles e seus desejos. Quando atingirmos esse estado, poderemos emanar corpos, nossas emanações vão cobrir e proteger todos os seres e através de nossas bênçãos poderão receber dentro deles paz interior.

Gen-la nos encorajou a desenvolver o sentimento no nosso coração de querermos nos tornar uma fonte de felicidade e refúgio para todos os seres vivos.

Logo entramos nos ensinamentos sobre a prática especial de confiar no Guia Espiritual, a prática do Guru Ioga. Gen-la Jampa ressaltou sobre os obstáculos que temos à prática e que precisamos de muito mérito para realizarmos nossos desejos, principalmente os desejos espirituais.

O que é um Guia Espiritual? Alguém que nos guia aos caminhos corretos e nos dá bom exemplo, explica ele. O que significa mostrar um bom exemplo? Reconhecer uma pessoa que ama o Dharma, uma pessoa que resolve seus próprios problemas, sua delusões com o Dharma, vemos de acordo com a vida deles que eles praticam o Dharma. Quando achamos alguém assim, somos muito afortunados. Uma pessoa que nos guie aos caminhos corretos; precisamos entender a preciosidade do Dharma e dos ensinamentos do nosso Guia Espiritual.

Essa verdade pode ser aparente quando olhamos ao redor do Festival. Aonde quer que olhemos vemos nossa Sangha, nossos professores dos centros locais e se tivermos fé podemos confiar que essas pessoas têm a mesma visão da linhagem pura do nosso Guia Espiritual. Quanta bondade!

Podemos desenvolver uma fé especial de que nosso Guia Espiritual é uma emanação de um Buda, isso é muito poderoso! Se investigarmos com sabedoria percebemos que parece um ser comum, mas que está realizando ações de um ser iluminado.

Gen-la nos fala que para nós, nosso Guia Espiritual é a conexão para o mundo iluminado, sem ele estaremos sempre em contato com a impureza da nossa mente. É ele quem nos conecta com os seres iluminados, precisamos dessa ponte. Só ele pode fazer isso.

Com nossos olhos comuns é impossível ver seres puros, mas com nossos olhos de fé, o que acontece naturalmente é que todos os Budas das dez direções entram em nosso Guia Espiritual e recebemos as bênçãos através dele.

Gen-la Jampa transparecendo claramente seu amor pelo Dharma compartilhou um de seus trechos preferidos do livro Grande Tesouro de Mérito preenchendo o coração de todos os praticantes com muita emoção:
“Devemos considerar nosso Guia Espiritual como nossa mãe, que cuida de nós e nos aprecia; como nosso pai, que nos provê de tudo o que precisamos e que nos protege do perigo; como a lua que refresca o calor das delusões em nosso continuum mental; como o sol que dissipa a escuridão da ignorância da nossa mente; e como um bondoso benfeitor que nos dá o presente inestimável do Dharma.”

Os ensinamentos da tarde foram tão envolventes, pontuados por momentos de risadas e de muitas contemplações. Gen-la falou que o principal obstáculo para alcançar o corpo, fala e mente de Buda Tara é porque estamos completamente compelidos a pensar “eu, eu, eu” precisamos cessar esse pensamento e parar de reconhecer nosso corpo fala e mente comuns.

Gen-la enfatizou nossa percepção de aparência equivocada e entrou nos ensinamentos sobre a vacuidade do corpo para nos preparar profundamente e realizarmos que as coisas que normalmente vemos não existem. Precisamos investigar essas aparências, mas para isso, ninguém pode nos contar, precisamos ter a experiência nós mesmos.

Precisamos chegar bem perto de Venerável Arya Tara até nos tornarmos uno a ela.
Para amanhã, esperamos muito alegremente, receber os últimos comentários desse bom exemplo que está permeando nossos corações com seu cuidado amoroso durante esses dias.

2018-11-20T18:25:37+00:0016/11/2018|Diário FBD 2018|